Micoses Superficiais em cães e gatos

HTML clipboard

Alguns tipos de fungos são os causadores de micoses, tanto no homem quanto nos animais. Esses fungos podem viver no solo, nas plantas ou na pele.

Mesmo sendo tão facilmente encontrados, os fungos só irão causar micoses na presença de condições especiais como baixa resistência do organismo. Assim, numa mesma casa com vários animais, um deles pode apresentar micose em vários locais do corpo e os outros não.

A micose mais conhecida e comum nos animais é causada por um fungo denominado Microsporum. Popularmente, essa micose é conhecida por "tinha". Ela é transmissível ao homem, porém, da mesma maneira que nos animais, a pessoa só será afetada se estiver numa condição de baixa resistência.

Cães e gatos podem apresentar micose em qualquer local da pele. Ela se inicia com uma crosta que, ao ser retirada, revela uma lesão arredondada, sem pêlos, em formato moeda (pode ser irregular também). As micoses de pele geralmente não causam coceira, porém, alguns animais desenvolvem alergia ao fungo e passam a coçar e morder o local afetado, podendo levar a uma contaminação bacteriana secundária, levando à formação de piodermites bacterianas. O diagnóstico é feito pelo aspecto da lesão e/ou por raspados de pele que vão revelar a existência de fungos.

No caso de uma lesão isolada, o tratamento é feito com cremes ou pomadas aplicadas no local (tópicas). Mas há animais que apresentam lesões espalhadas pelo corpo todo. Nesses casos, e nas vezes em que só a medicação tópica não foi suficiente, fazemos uso dos antimicóticos por via oral. Normalmente as micoses são tratadas com facilidade e os pêlos começam a crescer em 15 ou 20 dias. Casos resistentes requerem a mudança de tratamento, associação de medicamentos por via oral ou cultura de fungos.

Médico Veterinário- CRMVSP 3065
Arca de Noé Centro Médico Veterinário
www.arcadenoehv.com.br

Cadastre-se

Pessoas Online

Temos 26 visitantes e Nenhum membro online