Energia de Cura

HTML clipboard

Uma das coisas mais intrigantes de todos os tempos é a questão da misteriosa energia de cura – uma energia que tem a habilidade aparente de fazer “milagres” e transformar não somente a medicina, mas também a vida.

 

Utilizada desde o período pré-histórico; a começar pelos kahunas e, atualmente incorporada por alguns médicos em suas práticas diárias, foi revelada a cada um de uma forma, recebendo diferentes denominações.

 

Foi chamada pelos chineses de ch´i. De vis medicatrix naturaee por Hipócrates; de archaeus por Paracelso, de magnetismo animal por Mesmer. Era a força Odic do Barão Karl von Reichenbach, a força vital de Samuel Hahnemann, o orgone de Wilhelm Reich.  D.D. Palmer nomeou-a de Innate. Ela é o ki dos japoneses, o prana dos hindus, o mana dos polinésios e, o orenda dos índios americanos.

 

Apesar de suas várias denominações, esta exclusiva força universal exibe sempre as mesmas propriedades: cura; penetra tudo; acompanha os raios solares; tem propriedades similares a outros tipos de energia, mas uma força distinta; possui polaridade e pode ser refletida por espelhos; emana do corpo humano e tem sido especialmente detectada nas pontas dos dedos e olhos. É passível de ser conduzida por metais e fios de seda, de ser armazenada em materiais inanimados tais como água, madeira e pedra; varia com as condições do tempo; pode ser controlada pela mente; pode provocar acontecimentos à distância e entra na dinâmica dos fenômenos paranormais.  Além disso, pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal.

 

Freqüentemente relacionada a poderes da mente e como tendo uma inteligência própria, o fenômeno começou a emergir como uma parte da consciência. Como resultado, a exploração da consciência tornou-se a ocupação principal. Este pensamento deu nascimento a uma nova antologia ou ciência do ser que reconhece o homem como uma unidade holística de corpo-mente-espírito, cujo propósito primário na vida é participar na evolução da consciência individual e coletiva. A energia de cura é um elemento essencial nesta área.

 

O segredo Huna

 

A mais antiga menção da energia de cura vem dos antigos kahunas, chamavam-na mana, e era usada através de um sistema psicoreligioso denominado huna, que produzia o que normalmente denominamos mágica. As pesquisas de Max Freedom Long fizeram-no supor que o primeiro kahuna era membro das doze tribos que viveram no deserto do Saara. A palavra huna significa segredo e kahuna, portador do segredo. O segredo refere-se ao conhecimento de como fazer os milagres acontecerem, tanto na cura quanto na vida diária. A eficácia do huna, é baseada num profundo conhecimento da natureza em todos os sentidos. Os kahunas eram tanto bons psicólogos quanto mestres das ciências naturais.Isto fazia com que os milagres acontecessem. Mana é provavelmente a denominação mais antiga para a energia de cura; e talvez um dia cheguemos à conclusão de que os antigos kahunas, com seu sistema ético de psico-religião sabiam as respostas para questões que muitos de nós nem começou a perguntar-se.

 

Os fundadores da medicina holística: Pitágoras e Hipócrates

 

O nome que Pitágoras dava a energia de cura era pneuma que alegava ser proveniente de um fogo central do universo e que provê o homem não apenas de sua vitalidade, mas também da sua alma imortal. O fogo central de Pitágoras era a força primordial, a centelha que dá vida ao homem. A saúde física era integralmente relacionada ao bem estar da mente e espírito, por isso, podemos considerá-lo o fundador da medicina holística.

 

Hipócrates, conhecido como o “pai da medicina” acreditava em uma energia de cura, a vis medicatrix naturaee (o poder de cura da natureza). Em qualquer cura, dizia ele, esta energia é o principal curador, e tudo o que o médico pode fazer é remover ou reduzir os impedimentos para o apropriado fluxo dessa energia.

 

Paracelso

 

Acreditava em uma energia de cura que irradiava dentro e envolvia o homem como uma esfera luminosa. Esta força que ele denominou archaeus podia funcionar à distância e era capaz de criar e curar doenças. Também disse que as estrelas e outros corpos, especialmente magnéticos, podem influenciar o homem por meio de sua força, que penetra todo o espaço. Foi essa teoria que ficou conhecida como magnética ou sistema simpático da medicina, que é a base da cura magnética. Paracelso já dizia: “se dado em pequenas doses, o que faz um homem doente também o cura”.

 

Franz Anton Mesmer

 

Acreditava que o corpo era polarizado (positivo / negativo); e se essa polaridade pudesse ser combinada com a energia universal de cura, ou fluido, o poder resultante curaria a doença. Acreditava que a saúde era baseada no livre fluxo da energia, ou fluido vital, através do corpo, que a doença estabelecia-se quando o fluxo era bloqueado. Acreditava também que a força vital podia ser atraída e aplicada através do uso de magnetos.

 

Reichenbach

 

Um dos mais renomados cientistas do século XIX, descobridor do querosene, provocou um choque no mundo científico quando anunciou a sua descoberta da energia de cura, a qual chamou de Od, ou de força Odic. Achou o nome mais aplicável do que magnetismo animal visto que o nome Od vem do deus escan-dinavo, Odin, que significa grande poder. Estava convencido de que Od era a força que permeava toda a natureza e, para provar sua existência, conduziu centenas de experimentos por quase três décadas.

 

Samuel Hahnemann

 

Conhecido como o fundador da homeopatia, reconheceu uma energia curativa a qual denominou algumas vezes de força vital. As doses homeopáticas são menores do que as usadas em vacinas e, são prescritas para tratar a pessoa como um todo – corpo, mente e alma. Hahnemann acreditava que era a energia da substância, mais do que a própria substância, que curava. Como disse, ele chegou ao coração da matéria, ou melhor, dizendo, o coração da energia. Foi um dos primeiros médicos a juntar biologia e psicologia com física em um sistema prático de cura. A homeopatia, de alguma forma misteriosa, trata o corpo como energia mais do que matéria.

 

Wilhelm Reich

 

Psiquiatra e cientista convenceu-se de que tinha descoberto o segredo de toda a criação ao qual denominou energia organe, uma massa livre de poder primordial que opera através do universo como a força básica de vida. Descrevia esta energia como estando presente em todas as coisas vivas, bem como na atmosfera e no solo. Dizia que o fluxo correto desta energia através do corpo era essencial para a saúde. Acreditava que o sol produzia esta energia e que estava relacionada às variações do magnetismo da Terra. Poderia também ser medida eletricamente ou por termômetro e era visível como uma radiação cinza-azul em filme colorido.

 

Sabemos que energia e matéria são dois aspectos do mesmo fenômeno. Entendemos que o corpo humano é tanto energia (ondas) quanto massa (partículas sólidas). Os maiores físicos de nosso tempo Einstein e Planck reconheceram a energia através da matéria – uma força criativa que vem através da maravilhosa ordem do universo e de cada ser e objeto do universo. Desta forma a energia que permeia tudo é a base para a força de cura.

 

O conceito de tratar o corpo como um todo, mente-espírito-matéria, parece ser a premissa básica para aqueles que lidam com energia terapêutica. Medicina holística, da palavra grega holos, é baseada no tratamento deste mente-corpo-espírito e, o fator unificante é sempre energia. A orientação é sempre a de se curar o paciente e não a doença propriamente. É possível que nós vivamos dentro de um oceano invisível e inteligente de energia que penetra as células de nosso corpo. A questão é: podemos aprender a controlá-la?

 

Procuramos aqui fazer um pequeno apanhado da história da energia de cura, para desmistificarmos um pouco a idéia que muitos têm em relação à medicina holística, algumas vezes denominada de tratamentos alternativos a que muitos ridicularizam e a que não dão o devido valor. Hoje com o avanço da ciência, em especial da física quântica, muito dos ditos “milagres” e, métodos alternativos, estão sendo demonstrados à luz da ciência o que mostra que devemos deixar de lado os nossos pré-conceitos e assumir uma nova postura diante da vida.

 

Para aqueles que desejam conhecer um pouco mais recomendamos a leitura de: Seekers of the healing energy – Mary Coddington (referência deste texto) e, Medicina Vibracional – Richard Gerber.

Cadastre-se

Pessoas Online

Temos 37 visitantes e Nenhum membro online